Quaresma tempo de reconciliação: caridade

12/02/2018

É agora o dia da salvação. (2Cor 6,2)

O cristão encarna este tempo rumo à Páscoa como a profecia de uma existência toda dedicada a este anúncio de vida. Na realidade não estamos apenas nos preparando para a grande festa de Páscoa: e sim, revivemos, experimentamos, o "sim" do amor, que transforma o tempo entre o nascer e o morrer em tempo de graça.

A quaresma representa toda nossa vida, desde o nascimento, até o nascimento na eternidade. Desde o primeiro "sim" da fé para dedicar tudo de nós ao "Sim" de Cristo que transformou para sempre nosso coração em testemunho da glória.

Se a quaresma representa nossa vida, então o pode fazer só no sentido de uma vida entregue a este "sim". Um "sim" que conquistamos e para o qual lutamos e sofremos, dispostos a tudo aquilo que este "sim" significa: doar uma vida que não morre.


Sugestões práticas sobre caridade:

A esmola representa o terceiro pilar do tempo quaresmal, ou seja, a caridade. O empenho concreto em doar o amor, doar uma vida que não morre. Procure, portanto, a cada dia, viver um gesto de caridade, procure realizar um gesto de amor, ainda que seja pequeno e simples, que possa dar corpo à reconciliação.

Deve ser um gesto na liberdade total, a liberdade de um condenado a morte que em breve não estará mais aqui para receber de volta benefício algum. Dê com generosidade algo de precioso como se fosse uma herança simbólica. Tenha a coragem de se desfazer de um apego porque já não vai precisar mais, pois seu foco é somente a reconciliação.

Viva a caridade para dar valor máximo ao seu tempo. Tire um tempo para visitar um enfermo, para ajudar num trabalho quem não tem condições. Doe sua refeição a quem nada tem para comer. Faça com que seus últimos dias de vida sejam todos marcados por um amor corajoso, um amor que fortalece a reconciliação, um amor que possa deixar uma lembrança cheia de gratidão em quem vai ser beneficiado.