Quando “adorar” impede de comungar

15/08/2017

Não é comungar recebendo a hóstia na mão que nos faz pisar o corpo de Cristo, e sim o fato de não transformar nossa vida de acordo com a Eucaristia.

Que adianta receber a hóstia de um jeito desprezando quem a recebe de outro? Não estarei de fato cuspindo aquilo que estou comendo?

Que adianta reverenciar pomposamente um pedaço de pão que acredito ser Deus, se não reverencio pomposamente a carne do irmão para a qual Cristo deu o sangue?

Que adianta comer a própria condenação (1Cor 11,29) e berrar o tempo todo contra quem consideramos condenados?