Como não brigar

16/08/2017

Diante de uma briga qualquer a coisa mais evidente é que, apesar de usar o mesmo idioma, na realidade, fala-se em linguagens diferentes.

E quase sempre as partes envolvidas não se dão conta disso! Cada parte continua insistindo nas mesmas coisas, nos mesmos pontos, sem perceber que o sentido percebido pelo outro é completamente diferente e não pode que ser diferente.

Assim toda briga se funda num paradoxo: se exige do outro um reconhecimento e ao mesmo tempo se supõe que o outro seja insignificante!

Mas como algo de insignificante pode nos dar um reconhecimento? Todo e qualquer reconhecimento tem valor na medida em que quem o dá é importante e significativo!

Por isso, toda briga cessa quando cada um reconhece que o outro é importante, quando a importância dele não é apenas uma fachada para se garantir interesses, mas quando se trata de uma importância vital que gera laços de amor autêntico.