6. Profetas da alegria

20/07/2017

Os livros do Antigo Testamento preanunciaram a alegria da salvação, que havia de tornar-se superabundante nos tempos messiânicos. O profeta Isaías dirige-se ao Messias esperado, saudando-O com regozijo: «Multiplicaste a alegria, aumentaste o júbilo» (9, 2). E anima os habitantes de Sião a recebê-Lo com cânticos: «Exultai de alegria!» (12, 6). A quem já O avistara no horizonte, o profeta convida-o a tornar-se mensageiro para os outros: «Sobe a um alto monte, arauto de Sião! Grita com voz forte, arauto de Jerusalém» (40, 9). A criação inteira participa nesta alegria da salvação: «Cantai, ó céus! Exulta de alegria, ó terra! Rompei em exclamações, ó montes! Na verdade, o Senhor consola o seu povo e se compadece dos desamparados» (49, 13)...

Papa Francisco, Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, n.4

Ser missionário significa ter o próprio passado como sendo um "antigo testamento" no qual perceber tudo aquilo que Deus fez conosco para que nossa vida se tornasse testemunho autêntico de Cristo.

Ser missionário é fazer do nosso passado uma profecia do presente. É dar-se conta que a História da Salvação continua agindo na nossa vida, que o sentido de tudo o que já passamos é para anunciar a alegria que o evangelho nos entrega hoje.

Ser missionário é tornar-se responsáveis do presente, para que amanhã nossos atos, nossa luta, se tornem sinal de esperança para tudo aquilo que a cruz de Cristo nos chamará a carregar.