5. Vocação a Ser Igreja: Viver e Anunciar o Amor de Cristo

03/08/2017

Vida matrimonial e vida consagrada estão unidas dentro da Igreja para serem uma a serviço da outra, uma geradora da outra, para que realmente os homens e as mulheres de todos os tempos encontrem na Igreja e no ser Igreja o mistério de Deus Trindade que está no nosso meio através da presença viva e real de Cristo, Palavra e Sacramento, servo e irmão, amigo e primogênito.

"Quem se casa bem, se consagra bem... e quem se consagra bem, se casa bem" O que significa? Viver a vocação é educar o próprio coração ao amor. Toda boa realização vocacional depende disso. Não existe vocação sem amor e sem abertura ao amor.

Não existe também categorias de amor. O amor é um só, o amor verdadeiro nos une ao mistério de Deus e nos capacita a nos doar concretamente de acordo com a escolha que fizemos.

Diante do amor a diferença entre vacação matrimonial e vocação consagrada desaparece. Mas, na medida em que deixamos o coração aberto ao amor a vocação que escolhemos nos transforma e nos dá os dons específicos para aquele chamado.

Ninguém casa tendo dentro de si a vida matrimonial já perfeitamente formada. Ninguém se consagra tendo dentro de si a vida consagrada já perfeitamente professa. É o "sim" diário ao amor que vai realizar isso, que vai tornar a sementinha do primeiro "sim" uma grande árvore cheia de frutos.