2. Sentido do kérigma

15/07/2017

Assim como Deus se fez homem para entrar em relação conosco, também a Igreja vai ao encontro da humanidade assumindo completamente a vida dos homens para com eles viver o encontro autêntico com Deus, sempre novo, sempre atualizado ao longo da História, sempre contextualizado com a realidade na qual ele acontece.

Todo anunciador do Evangelho é chamado por Cristo a se encarnar na vida do outro, e a viver com ele o encontro com o "homem da cruz", o verdadeiro homem que nos conduz a conhecer o mistério de Deus e, mais ainda, a nos descobrir realmente "filhos de Deus", habitados pelo mistério da Santíssima Trindade.

Esta relação vital, no Espírito, que se estabelece entre anunciador e seu destinatário é o "KÉRIGMA" através da qual são comunicados os elementos fundamentais da identidade de Jesus Cristo, da sua vida e da vida da Igreja, que é sua Presença permanente na História.

O kérigma não é, portanto, apenas uma síntese informativa sobre a identidade de Jesus, mas uma relação profundamente humana através da qual se oferece ao outro uma real comunicação da experiência de Deus que o anunciador guarda dentro de si como base do seu testemunho pessoal de encontro com Jesus.

O kérigma pode expressar conteúdos verdadeiros em si, mas ele se torna uma relação verdadeira e eficaz (performativa), que comunica o mistério de Deus, na medida em que o anunciador vive verdadeiramente aquilo que o anuncia.