Quaresma: tempo de conversão


Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer... (Mt 25,34-36)

Muitas vezes as práticas religiosas se tornam sutis desculpas para não amar. Acabam se tornando um anestésico fatal que deixam nosso coração igual a um cadáver, insensível e vazio...

Mas a única religião boa é aquela que nos capacita ao amor. É aquela feita apenas de gestos de amor, cheios de misericórdia e ternura.

Gestos concretos pelos quais o tempo e as forças, os sentimentos e a inteligência, toda nossa vida, se tornam alimento para a vida de outros...

Sim, a única religião boa é aquela que nunca nos dá desculpas para afundar no egoísmo, mas que continuamente nos devolve a responsabilidade do amor.


Quaresma: tempo de mudança

Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. (Mt 6,1)


Quaresma é tempo para amadurecer o olhar do homem da cruz

Para enxergar nossas profundidades com a sabedoria da misericórdia


Quaresma é tempo para transformar nosso agir

Para que possa tornar-se testemunho do amor verdadeiro


Quaresma é tempo de mudança interior

Que nos convida a habitar no coração de Jesus


Jesus olhou para ele com amor, e disse: "Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!" (Mc 10,21)


Aquele jovem sem nome, sem um "sim", sem a decisão mais importante da vida dele

Sou eu toda vez que faço o mesmo.

Toda vez que vou embora cheio de tristeza,

Incapaz de me desfazer das correntes que me amarram.


Mesmo assim, uma coisa só me falta:

Colocar em prática a Palavra que o homem da cruz tem a me dizer.

Uma Palavra que nasce do olhar de amor dEle.

A única verdade capaz de compreender meus segredos.

A única pela qual posso me libertar.


Ainda posso levantar os olhos.

Ainda posso cruzar meu olhar com o olhar dEle.

Ainda posso dizer "sim" a este amor.

Que nunca desiste de mim.


Pe. André.